Páginas

Resenha : Além do Planeta Silencioso.



 Nada como terminar um livro e com o término querer  ler a continuação.
   Se você leu  " As Crônicas de Nárnia ", que era um conto infantil magico e perfeito, irá se deparar com um livro muito mais adulto do meu amado Lewis (sou suspeita). Mas enfim, ele, nesta obra mostrou o quanto pode ser mais do que um escritor para crianças (que não são crianças pois li todos sobre Nárnia).

    O livro começa com a viagem de Ranson um filólogo (para quem não sabe esse personagem foi baseado em Tolkien o autor de Senhor dos Anéis, pois além de ser um grande amigo de C.S. Lewis era um filólogo)  que está passando suas férias fazendo essa viagem a pé de uma cidade a outra, dormindo em pousadas ou casas de pessoas que encontra pela estrada. Até que um belo fim de dia, quando não consegue arrumar um lugar para dormir  em uma cidade e tem que caminhar até outra, depara-se com uma pequena casa  onde uma mãe está desesperada a espera de seu filho que foi trabalhar e não havia voltado.
  Ranson com pena da senhora, vai até a casa onde o garoto trabalhava para pedir aos donos que o liberassem  e talvez pedir para dormir. Só que nisso tudo ele encontra seu antigo colega de faculdade de quem não era muito fã, e com isso eles liberam o garoto e seu colega de faculdade ( Devine) e o amigo dele que era dono da casa (Weston) o convidam para passar a noite, mas, Ranson nem ao menos desconfiou que havia algo por trás daquele convite, que parecia amigável.
  Devine e Weston, deram a Ranson uma bebida, que digamos era batizada e com isso em meio de algumas tentativas de fugas em vão de Ranson pois estava muito doido o colocaram dentro de algo que Ranson descrevia como uma fornalha pois era muito quente  mas na verdade não era nem parecido, aquilo era uma nave a caminho de Malacandra (Marte em nossa linguá).  A partir daí você que tente adivinhar o que aconteceu com Ranson.

  A história é intrigante de uma forma que a moral dela faz refletir sobre os dias de antigamente e os de hoje e como a nossa raça se sente tão superior, ele conseguiu relatar coisas que se prestarem atenção fica relacionado a história do tempo em que foi publicado (1938). A mensagem, o conteúdo que mistura mitologia, teologia e fantasia fazem você parar no tempo. Eu demorei a engatar mesmo no livro, enrolei para ler ele, mas quando peguei de verdade terminei em 3 dias. Vale a pena!
 
 Essa trilogia tem 3 livros : Além do Planeta Silencioso, Perelandra ( Vênus) e Aquela Força Medonha. Quem gosta de Lewis ou gostou dos livros das Crônicas de Nárnia irá gostar também dessa trilogia.

Você se conhece?

Descobrir-se as vezes acaba nos tornando perigosos e totalmente autores sem desculpas  sobre erros que fazemos. A cada dia dedicado ao seu eu interior, analisando cada decisão, cada situação que presencia e participa no fim lhe causará loucura.
  Muitos, eu sei que irão dizer que sou uma doida, e realmente sou, e sei disso por que reflito sobre tudo ao meu redor da minha maneira particular. De acordo com os meus princípios, minha moral, minhas crenças entre tantas outras coisas que foram introduzidas a mim assim como em todos. E com isso tudo eu consigo achar de fato defeitos e qualidades, posso ser a minha pior julgadora pois eu sei que se faço algo que vai contra a coisas que acredito, me condenarei!
  Sei quando sou falsa, quando estou querendo fazer cena ou ser o centro das atenções. Sei quando me sinto incomodado quando um amigo ou amiga chama mais atenção do que eu e isso chega a parecer uma competição de popularidade. Vocês acham que eu gosto disso? Claro que não, sempre tento visar o melhor sobre mim mas essa é uma das consequências de realmente se conhecer, isso por que você passa a ver o quanto não perfeito é, o quanto é falho e não é a melhor pessoa do mundo. Outra consequência que se adquiri com isso, que eu acho maravilhoso, é a humildade que  acaba surgindo, pois você passa também a entender as suas qualidades e não fazer delas um momento de glória e sim um dever com outros que estão ao seu lado, isso sem ter que exigir algo em troca.
  Eu nunca me achei o tipo egoísta, mas eu sou, disfarçadamente mas sou. Eu não gosto disso, eu sei que no final eu vou conseguir o que quero e ainda tendo ajuda de outras pessoas o que também me leva a ser manipuladora.
  As auto-analises  que eu faço em mim são sempre por causa das minhas falhas, minhas qualidades  eu consigo enxergar quando algo bom acontece por um mérito meu. Aprendi que posso admirar as pessoas, antes me achava auto suficiente, hoje é o contrário. Todo mundo tem um lado sombrio e um lado de luz, só que muitas pessoas não querem enxergar o sombrio pois sempre irão achar que são "perfeitas" mas uma coisa é certa, as pessoas que vêem de fora fazem sim observações corretas.
  Auto analises devem ser feitas por pessoas com a total disposição  a se aceitarem do jeito que são, não há nada de errado em ser o que é, mascarar as coisas é sempre pior e irá torna-lo a vista de outros pior ainda. Eu não sou falsa com qualquer pessoa, apenas com aquelas que me fazem algo, não se pode confundir falsidade com educação, são coisas diferentes, você pode não gostar de ciclano mas ciclano nunca lhe fez nada então o minimo é respeitar.
  A auto aceitação, sobre tudo relacionado a você mesmo é difícil e demorada, mas a partir dela você começa a se entender, a por limites e ter certeza se você gosta ou não de certa coisa. Isso é ser honesto consigo mesmo e assim poder passar essa honestidade para outras pessoas.  Outra coisa também é poder entender corretamente como se fosse com você a situação de outras pessoas, não é estar defendendo ela ou a condenando é apenas entendendo, já que pode viver algo parecido na própria personalidade.
  Quem muito se vangloria sobre tudo e acha que outras pessoas são inferiores, seja pela inteligencia, cultura, cor, sexualidade no final só mostra o quanto inferior é por que não consegue aceitar que está errado e que nada, absolutamente nada é diferente pra ninguém. Pare para  pensar, todos são iguais, porem algumas coisas floresceram mais que outras. Cabe a cada um conhecer a si mesmo e saber diferenciar que ninguém é perfeito e nem o melhor.

Reservado

Passei a observar como agiam
Tudo que fazia não os atraíam
As vezes pensava ser um deles
De tanto igualar os gostos 
Pensando que assim funcionaria.

As esperanças estavam se esgotando
O tempo ia passando
E eu não estava namorando

Comentário singulares
Sobre minha sexualidade
Faziam alguns olharem com curiosidade
Me julgavam apenas pela minha idade.

Me mantinha reservada
Sentava na escada 
Imaginando como seria
Quando fosse amada.

Só exigia um batom borrado
De um beijo roubado
Um olhar emocionado
Um sorriso nos lábios
 Um cartão rabiscado
De um homem apaixonado.

Estranhos.

Como uma bruxa má
Eu resolvi te enfeitiçar
Refiz meu coração podre
Pra você não engasgar.

Como um Cinderela
Eu esqueci o meu chinelo
Você deixou na minha porta
Com um bilhete amarelo

(Homem)
Sofia consertei o seu chinelo
Pode usar que tem um prego
Segura até você comprar outro
Desculpa se eu fui escroto.

O meu feitiço funcionou-ou
Até desculpa ele  deixou
Agora só falta um beijo
E realizo o meu desejo.

Que princesa eu posso ser?
Branca de neve eu quero ser
Mas eu teria que ser branca
Com essa cor não adianta.

(Homem)
Você está mais para Jasmim
Aquela que pega o Aladim
Não se aborreça é gostosona
Pior se fosse  a Fiona.

La,la, la, la, la mas eu te quero é assim
Não precisa ser mais princesa, você já tem a sua beleza.

#Verônica  Macedo Pereira.

Liberdades corrompidas.

Vidros espalhados
Amores despedaçados
Olhares mal assombrados
Querendo alguém ao lado

Vidas interrompidas
Overdoses não concedidas
Peguei a sua bíblia
Mas não fui salva ainda.

Olho para todos
E não vejo algum sentido
Morremos tão jovens
Esperando sermos conhecidos

Pelos feitos ruins, talvez os bons também.
Querendo um pedaço do paraíso
Ao embarcarmos no trem
Das mentiras tão confortantes.
Que nos cegam a tanto tempo.

Corações amargos
Relembrando um passado
Que se fez tão bom
Mas hoje não valem um tostão

Risos engasgados
Liberdades corrompidas
Não há privacidade
Todos mandam em sua vida.

 _________*___________
Sorrio no escuro
Para  não te ver
Meus olhos doem tanto
Quando enxergo você

#Verônica Macedo Pereira.

Eu.

Eu não aprendi a amar sem idealizar o perfeito.
Eu não aprendi a amar sem desejar o pra sempre.
Eu não aprendei a amar imaginando discussões.
Eu não aprendi a amar pensando no sexo matinal.

Eu não desejei a promiscuidade, ela apenas apareceu.
Eu não desejei a maldade, mas fiz dela uma aliada.
Eu não desejei a solidão, mas fiz dela uma defesa.
Eu não desejei amar, pois sabia que sofreria.

Eu resolvi esquecer, só pra não chorar de novo.
Eu resolvi não escutar, pois eu sabia que estavam certos.
Eu resolvi desistir, por que a cada tentativa eu me machucava mais.
Eu resolvi evitar, pois só de olhar o meu coração doía.

Eu esperei por anos, apenas para ver se voltaria a ser como antes.
Eu esperei as palavras certas, apenas para dizer  "Sim, eu aceito" mas nunca as ouvi.
Eu esperei a tempestade passar, mas a cada dia, ano, ela ficava mais forte e nós nos afogávamos.
Eu esperei por você, mas você nunca mais voltou.

Hoje eu sou assim, aproveitando cada brecha que me dão para fazer os outros sofrerem. Eu não desejei outro, esperei outro, aprendi com outro, nem resolvi buscar outro que não fosse você. Infelizmente até o meu amor acabou, mas a maldita sensação de que só poderia ter sido com você permanece.




London

London , bem aventurada seja aquela menina. Nada doce, nada amarga, nada normal! 
Esperava que seus erros fossem perdoados assim como perdoa aqueles que lhe faltam .
Ser paciente, controlar as emoções, ela tenta e como ela tenta . Não diga ,não faça, não transforme coisas solidas em nada!
 Aprender a controlar a vontade de ser egoísta e não magoar, não ferir as pessoas que tanto ama e que deseja estar por perto .
Mas e seu coração _calejado e espremido _ que quase não consegue mais sentir nada. Pobre London , reprimiu sua alma pelas outras pessoas, outras pessoas, aquelas que ela nem imagina que não a perdoariam.
Ela deixa seus amores irem embora quando alguém que ama muito também ama o seu amor, ela nega, ela esperneia. Ela deixa de ser ela! Sempre sabendo, sempre dizendo, pensando que amores vem e vão .
London, pequena London, recusando sua felicidade pelas outras pessoas. Talvez essas pessoas não fossem fazer o mesmo. Mas ela quer ser nobre, talvez ela queira um lugar no paraíso. Talvez ela não queira perder o amor que não a prenda e dispensa aquele que faz seu corpo todo se prender em chamas ardentes.
London perdeu a sua ferocidade, perdeu o dom do desespero e da impulsividade, controla os sentimentos de uma forma fria e calculista, deixando seu egoísmo escondido em uma parte tão, tão escura que quando tenta procura-lo esquece onde o deixou guardado.
Pobre menina, pobre London, correndo de todos, correndo de todos aqueles sentimentos confusos, raros, emocionantes, entorpecentes ,cheios de adrenalina apenas por pessoas que nunca, saberiam como ela realmente é e o que ela gostaria de ser tornar. Se ainda existisse um pouco daquele amor pelo amor voraz ,puro, indecente que ela tem medo de sentir apenas por causa do amor da amizade, London não seria mais a menina que aceita tudo em nome de amigos que não lhe dão o mesmo que ela dá a eles.

   

Só mais um blog pessoal no meio de tantos outros.

Me perguntaram o por que de eu ter um blog se não compartilho nada de  "útil" com as pessoas. PERA LÁ! Como assim nada de útil? Meus sentimentos, minhas opiniões, minha vida é algo útil pra mim. Não estou afim de ficar postando sobre vários assuntos se isso aqui é como  um diário, vou compartilhar o que me interessa. Cada um lê o que gosta, e eu quero deixar o meu eu marcado aqui. Até por que depois eu vou imprimir tudo e fazer um diário de papel, pra quem sabe assim meus filhos vejam como a mãe deles era quando mais nova.

    Eu confesso que tenho minhas fases, as fases mais revoltadas, onde quero mesmo que todos se fodam e eu goze na cara deles e a fase que considero "depre" onde paro pra refletir sobre as coisas que atormentam a minha mente. Eu sou do tipo que prefiro reclamar escrevendo do que falar com alguém.
 
  Só não diga que ele é  inútil, por que a utilidade dele é justamente esvaziar essa minha mente tão louca e problemática.

xoxo Nica